sexta-feira, setembro 11, 2009

Sexo

Você pode pensar que eu coloquei esse título aí acima apenas para chamar a atenção, e no fundo é um pouco assim. Eu pensei num monte de coisas pra escrever, mas ficou isso mesmo. Mas chega, não é um post para se falar sobre títulos e estratégias para aparecer nas primeiras páginas no Google, é pra falar sobre.... sexo.

Quando eu comecei esse blog, lá pra 2002, eu jamais pensaria em expor a minha vida nele, muito menos falar sobre sexo. Sexo era tabu literário, eu não tinha o mínimo tato para escrever sobre ele. O tempo foi passando e comecei a me expor mais aqui, falar de mim, mas mesmo assim de sexo não. Tanto que no meu livro não tem nenhuma mísera cena de sexo e, quando se fez necessário, foi 'com as luzes apagadas'.

Eu ficava meio puto da vida com isso, porque meus textos puritanos e ingênuos estavam me enchendo o saco, daí resolvi meter os dois pés no peito e escrever um texto erótico, sem meias palavras. E foi um, foram dois, foram três e, finalmente parece que eu perdi esta trava.

Certo, certo, só que mais um vez eu estou desviando o foco do assunto principal do post. É sexo, sim, mas não é sexo literário e sim o que eu penso do sexo. Ok, deixa eu explicar direito, não vou ficar aqui falando sobre minhas opiniões, posições, fantasias e essas coisas, porque tudo tem limite, mas sim sobre uma peculiaridade.

Sim, eu adoro sexo, e conforme o tempo foi passando eu aprendi a gostar cada vez mais (com certeza tem a ver com o fato de que melhoramos com o passar do tempo), só que você também passa a dar valor para outras coisas nele, não apenas o ato em si. Sem ser piegas e essas coisas, mas muitas vezes ficamos pensando em como é o sexo perfeito. E, confessem, é isso que todo mundo quer.

O sexo perfeito passa por diversas fases. Atração física, preliminares, ato em si e o pós. Daí pensa: pós o que, caralho? A preparação pra uma segunda? Claro que não! O pós é aquilo que se inicia no momento que o sexo em si acaba. Porque durante é fácil, tá na pegação, tudo é bom e gostoso. Mas e depois? E depois que goza? Faz o que? Deita de dorme? Ou manda a mina embora?

Fosse fácil assim. Todo mundo já teve a sensação de pós sexo, de olhar pra pessoa e pensar "puta que pariu, que merda eu fazendo aqui? Quero sumir daqui". Isso é mais comum que parece, e por outro lado é uma sensação horrível. Horrível pra gente e pra outra pessoa. É nisto que eu falo do tal sexo perfeito.

O sexo perfeito nem sempre é aquele em que você mais goza, ou que você demora mais tempo, ou que a pessoa é a mais gostosa, mas sim é aquele em que, quando acaba, você olha pra pessoa ao seu lado (ou embaixo, ou em cima, depende da posição), lhe dá um beijo e depois ficam abraçados, quietinhos, até pegarem no sono. O sexo, para ser perfeito, precisa ser seguido deste conforto que só temos com poucas pessoas na vida, deste abraço e deste cochilo, e nunca com a vontade de sumir ou de mandar alguém embora.

Tem uma fase da vida que a gente pensa que sexo é penetração e acabou, mas ainda bem que a gente cresce, evolui e descobre que sexo é muito mais do que isso. E, é aí que a gente passa a gostar muito mais dele!

3 comentários:

Alê Marucci disse...

Duas coisas.
Primeira: seus contos eróticos estão entre os melhores textos que você já escreveu até hoje. Sou fã e você sabe disso. Ainda bem que deixou as travas para trás.
Segunda: no sexo, tenho sentido falta justamente do que você chama de "pós".
Beijo.

Mariel F. Moura disse...

Virar pro lado e roncar é sacrilégio. Trepar é uma arte!

Doggas disse...

é verdade. finalmente concordamos. hahahaha :)

Beijos
Isa