segunda-feira, outubro 06, 2008

Política (versão beta)

Apesar de nunca ter falado sobre política nesse blog, acabei não resistindo. As eleições foram ontem e, para variar, todas as pesquisas erraram feio nas principais (e também nas menos importantes) cidades, ficando cada vez maior a dúvida sobre a idoneidade dessas.

Mas a questão não é bem essa, e sim que através da votação obtida pelos candidatos "preteridos" por estes institutos, eu percebi duas coisas: que a população já não acredita mais em pesquisas e que, cada vez mais, as pessoas se mostram mais fortes que os partidos ou a "ideologia".

Em Sampa a Marta mostrou mais uma vez que confiabilidade e competência não se conseguem com botox. Não falo carisma por isso ninguém tinha, nem o Kassab muito menos o Geraldo "picolé de chuchu" Alkimin, então a votação acabou (ainda bem) sendo definida nos aspectos técnicos. Nunca escondi de ninguém que o meu candidato preferido é e sempre foi o Kassab, por tudo aquilo que eu vi que ele fez pela cidade e ainda porque eu tenho um grande pé atrás com o PT e com o PSDB das viúvas do Covas.

Sim, eu não gosto no PT, a única vez que votei nele foi na primeira eleição vencida pelo Lula e, no meu conceito, a Marta é a representante perfeita de tudo aquilo que eu menos suporto no partido, e no esquerdismo-socialismo-comunismo-ocaralho: um bando de playboy, filhinho de papai pseudo-anarquistas de butique, metido a socialista e politizado, enquanto a única coisa que fazem é ficar nos CA's, DCE's ou o que seja da vida fumando maconha e sonhando em dar para o Fidel ou para o Che, sem ter a mínima idéia do que a vida, porque papai paga tudo. Tudo o que eu sempre pensei dessa povinho é o retratado no Tropa de Elite, na mais forte e honesta representação da verdade, sem medo de magoar a pseudo-intelectualidade universitária. Nada contra os anseios da população mais humilde de lutar pelo seu espaço, mas não é isso que eu vejo acontecer nos últimos anos, afinal dar o peixe (no caso, um lambari) é muito diferente de ensinar à pescar.

Falando nisso, se toda a classe média intelectualizada e a classe pobre votam no PT (e na esquerda em si), como a Marta não ganhou no primeiro turno? Fica a pergunta no ar...

Por outro lado, outro candidato "ignorado" pelas pesquisas mas que mostrou na prática que está muito vivo, obrigado, é o Gabeira. Sim, ele foi comunista, seqüestrador, guerrilheiro e todas essas coisas que eu abomino, mas, ao contrário dos José Dirceus e Genoinos da vida, ele cresceu politicamente, mostrou-se um político de primeira categoria, com idéias maduras e sem medo dos palacianos, o que me faz respeitá-lo muito e, mesmo achando que ele não ganha a Prefeitura do Rio, o estrago está feito e a cidade mostra que está incomodada com o estado que ela atingiu. Bem que eles poderiam, após eleger um governador sério, elegerem um prefeito "macho", no melhor sentido da palavra, pra acabar com a palhaçada lá vigente. Após escrever esse texto, eu vi uma entrevista dele para a Globo dizendo que, se quiserem apoiá-lo, tudo bem, mas que ele não vai lotear a Prefeitura para que isso aconteça, que secretaria é lugar de pessoas técnicas. Sem hipocrisia, deu vontade de mudar meu título para o Rio e votar nele.

Eu voto em Santa Bárbara, cuja eleição acabou e eu nem votei, mas vou acompanhar com muito cuidado estas duas eleições, que estão mostrando que o que o povo quer são pessoas, não partidos (quadrilhas?), no poder. Ou vocês acham que existe outra explicação para a aceitação recorde do Lula, mesmo com a bandidagem que o circunda? Ele é a personificação da presidência. Mas é preciso que ele fique esperto, pois o povo gosta do Lula, não tanto do PT, e está mostrando isso nestas eleições. Dilma presidente? Bem, o Ricardo Teixeira também tentou o Dunga na seleção, pra mim é a mesma coisa.

2010 está aí, e hoje nós não temos uma pessoa com condições de vencer a eleição para presidente. Sobre as figuras mais fortes, da Dilma eu já disse e não vejo ninguém em condições de manter o reinado do Lula, no PSDB o Serra deu uma rasteira no Aécio e saiu dessa muito mais forte, mas apesar de eu estar aprendendo à admirá-lo, ainda é muito cedo para dizer algo. Ciro Gomes é uma figura muito regionalizada e o Sérgio Cabral, o próprio Gabeira e o Demóstenes Torres são novas figuras surgindo com força, mas ainda é um pouco cedo para eles.

Agora, nos resta esperar, e que novas caras surjam (como eu acho que estão surgindo) para nos conduzirem à dias mais prósperos, sem qualquer demagogia.

Um comentário:

Alê disse...

Cadê?